No Tempo do Papel

Hoje em dia os computadores estão presentes em todos os lugares, de forma que poucos imaginavam há 20 anos atrás. Desktops, notebooks, netbooks, celulares. Até cartões de banco estão abandonado a tarja magnética e usando chips. Mas, por incrível que pareça, ainda existe um lugar onde mal se usa computadores: nas salas de aula, pelo menos das escolas públicas (e em muitas particulares).

 

Isso mesmo, veja só a discrepância. Num mundo em que o uso do computador é indispensável, as escolas ainda pouco sabem sobre isso. As crianças continuam a aprender exclusivamente por cadernos e livros impressos. Os professores continuam a usar o velho giz. Ainda se ensina a desenhar as palavras, fazendo letrinhas redondinhas, mas a digitação é colocada totalmente de lado, como algo dispensável.

Professores reclamam que seus alunos apenas copiam conteúdo da internet, mas poucos se preocupam em ensinar como usar esse recurso de forma correta e proveitosa. A verdade é que a maioria dos professores não tem ideia alguma sobre como usar esses recursos! Isso mesmo, os professores são formados em outra época, distante tecnologicamente dessa em que vivemos, e por isso muitos tentam inconsciente afastar esse futuro, como uma forma desesperada de manter o mundo que conhecem e no qual se sentem confortáveis.

Lembram daquela antiga frase que falávamos quando alguém usava algo muito antigo? “Você vive no tempo da pedra”, pois bem, cada vez mais uma nova frase substitui essa. Em breve poderemos dizer “Você vive no tempo do papel” com esse mesmo significado. E o pior é que as escolas ainda vivem no tempo do papel mais que quase todo o resto do mundo!

É claro que a culpa não é dos professores (não apenas deles pelo menos), mas de todo o sistema e sociedade que permite isso. A verdade é que vivemos em uma época de transição e poucos percebem as mudanças. No entanto, esse atraso no ensino certamente terá consequências. Após anos de estudo os jovens se formarão como analfabetos digitais e o mercado de trabalho irá se deparar com profissionais desqualificados. O desenvolvimento tecnológico do país poderá ser afetado e no final das contas poderemos continuar muitos e muitos anos como o “celeiro de mundo” apenas produzindo produtos básicos para sustentar o avanço e desenvolvimento de outros.

Muitas escolas já começaram a engatinhar na utilização de novas tecnologias criando aulas específicas para informática, mas isso ainda é pouco. Enquanto a informática não estiver totalmente integrada com o ensino de todas as áreas do conhecimento nós permaneceremos no atraso.

Até quando nos prenderemos no tempo do papel?

Sobre Daniel Bagatini

Curioso, chato e muito ocupado. Se não esqueci nada, essa dever ser a melhor definição de mim mesmo. Se ainda quer saber mais, sou um aspirante a Doutor e atualmente Professor (ou babá) de Ensino Fundamental. Adoro crianças, principalmente quando elas viram adultos e saem de casa, caso estejam assadas também são uma opção muito boa! ;p